Com a segmentação do mercado, várias áreas da Psicologia ganharam autonomia suficiente para se configurarem como campos de atuação de prestígio e alto potencial de crescimento. Portanto, engana-se quem pensa que o psicólogo só pode atuar em consultórios e com terapias.

A seguir, reunimos as principais possibilidades de atuação na área da Psicologia para você conhecer e avaliar as opções para a sua carreira. Quem sabe o seu perfil profissional não se encaixa em alguma delas? Confira a lista nos próximos tópicos!

1. Psicologia Educacional

Um dos papéis da escola é atuar como guia na construção do caráter de seus alunos, na edificação de sua cidadania e no desenvolvimento de habilidades e competências socioemocionais essenciais para a convivência em sociedade. Afinal, a educação é um processo que ocorre em duas frentes: uma delas no âmbito familiar e a outra na instituição de ensino.

Nesse contexto, o psicólogo é indispensável para auxiliar na elaboração do plano pedagógico do colégio e na construção do processo educacional de todo o corpo discente. Além disso, esse profissional ajuda o corpo docente, que necessita de apoio especializado durante o exercício de sua profissão. Isso ocorre principalmente em relação a casos específicos que envolvem necessidades especiais por parte dos estudantes e seus familiares.

2. Psicologia Organizacional ou Empresarial

A humanização no ambiente de trabalho é uma preocupação relativamente recente em nossa sociedade, mas tudo indica que, felizmente, ela chegou para ficar. Cada vez mais os gestores de empresas e estabelecimentos variados, independentemente de seus portes, preocupam-se com o capital humano em seus negócios — desde o momento da contratação até a hora de demitir um colaborador.

A Psicologia Organizacional atua no auxílio psicológico aos colaboradores de uma empresa e aos próprios gestores. Aqui, o psicólogo também é essencial para garantir o bem-estar da equipe, permitindo que a cultura e o clima organizacional sejam benéficos a todos. Esse é um ponto essencial, pois previne problemas como Síndrome de Burnout, estresse, depressão e ansiedades ocupacionais.

3. Psicologia Esportiva

A Medicina do Esporte é uma das especialidades médicas mais valorizadas atualmente. No entanto, pouco se fala sobre a Psicologia Esportiva, que também tem ganhado relevância nos últimos tempos. Um exemplo são os eventos ocorridos na Copa do Mundo de 2014 e 2018, quando os jogadores da Seleção Brasileira passaram por momentos de muita pressão psicológica.

O principal foco desse profissional é garantir que o psicológico dos atletas esteja devidamente tranquilo e preparado para os desafios. A preparação física, por incrível que pareça, não é tudo, e a mente tem uma parcela fundamental de participação no desempenho final do esportista!

4. Psicologia do Trânsito

Embora pouco conhecida, essa é uma das áreas da Psicologia que mais cresce no país e no mundo. O trânsito em algumas cidades (especialmente nas metrópoles) é muito estressante e caótico, criando o ambiente ideal para acidentes e condutas inadequadas ocorrerem. É nesse momento que entra o profissional especializado.

Além de testar os potenciais motoristas, avaliando-os antes de liberá-los para a condução de veículos na rua, o psicólogo do trânsito atua também na criação de políticas com o intuito de melhorar o dia a dia dos condutores. Outra atuação desse profissional está no desenvolvimento de ações de restabelecimento aos motoristas que sofreram alguma multa ou punição.

5. Psicologia Clínica e Hospitalar

Esse é o psicólogo clássico, ou seja, o profissional que atua realizando consultas diversas aos pacientes em centros de saúde, clínicas particulares, Unidades Básicas de Saúde (UBSs), hospitais e muito mais. A atuação desse sujeito é muito ampla e há, aqui, uma grande possibilidade de especializações e aperfeiçoamentos.

Esse tipo de profissional é importante para garantir que a saúde mental e psicológica da população seja sempre preservada. No campo hospitalar, ele também é fundamental a outros profissionais da saúde, como enfermeiros e médicos, a fim de que estejam em dia com a gestão de seu lado emocional.

6. Psicologia Social

O psicólogo social é um profissional muito relevante, especialmente em meio ao contexto em que vivemos atualmente. Cada vez mais pessoas têm problemas como a depressão que, infelizmente, muitas vezes não são diagnosticadas em virtude da falta de profissionais qualificados para buscar esse tipo de resposta com o paciente.

A Psicologia Social é a área que atende àqueles indivíduos que mais se encontram em situação de vulnerabilidade, como idosos, pessoas de baixa renda, gestantes, mulheres, crianças e usuários de drogas. A elaboração de medidas para a melhora da qualidade de vida desses grupos, normalmente marginalizados, é um dos pilares dessa profissão.

7. Psicologia Ambiental

A sustentabilidade e a crescente preocupação com a natureza e o meio ambiente são, na atualidade, pautas importantíssimas nos mais diversos meios da sociedade. Por isso, a Psicologia Ambiental é uma área relativamente nova e que está relacionada a outras ciências, como a Sociologia, a Geografia e a Arquitetura e Urbanismo.

Quem gosta de pesquisar, estudar e investigar, vai se interessar bastante por essa especialização. Afinal, a principal atividade do psicólogo ambiental é analisar as interações entre o homem e a natureza, bem como entre o sujeito e a localidade em que vive.

8. Neuropsicologia

Quem opta pela Neuropsicologia vai focar especificamente na relação entre o cérebro e o comportamento humano. Por isso, esse profissional avalia e consegue diagnosticar habilidades e problemas mais pontuais, como funções motoras, atenção, memória, afeto, raciocínio, abstração ou percepção.

É uma área muito interessante, pois envolve conexões ricas com outras disciplinas e profissões. Junto a uma equipe multidisciplinar, por exemplo, esse psicólogo especializado também vai acompanhar procedimentos de recuperação e reabilitação de pacientes, como aqueles que sofreram acidentes com lesões traumáticas.

Com base na neurociência, ele é capaz de observar e tratar, até mesmo, problemas de personalidade, comportamento, cognição ou de funcionamento cerebral de um modo geral. Somado a isso, o neuropsicólogo tem grandes chances de fazer uma carreira acadêmica brilhante, por meio de estudos e pesquisas de relevância para a área e todas as outras atuações da Psicologia.

9. Psicomotricidade

Vários profissionais da saúde e educação podem se especializar em psicomotricidade, sendo esta também uma área da Psicologia. Ela se concentra na prevenção, diagnóstico e reabilitação de distúrbios psicomotores em todas as fases da vida. Então, quem trabalha com ela poderá realizar estudos psicológicos sobre o desenvolvimento motor de uma pessoa desde antes do nascimento.

O profissional da Psicomotricidade observa e avalia as funções motoras, mentais e distúrbios emocionais que refletem na coordenação física. Para isso, considera a pessoa como um todo, ligando corpo e mente, a fim de diminuir as dificuldades físicas e ajudar o paciente a encontrar uma relação harmoniosa com seu corpo.

Dê uma olhada em alguns pontos que exigem atuação da Psicomotricidade:

  • falta de coordenação motora;
  • inquietação (hiperatividade);
  • dificuldade de realizar movimentos;
  • distúrbios de escrita;
  • distúrbios da lateralidade (percepção dos lados do corpo);
  • dificuldades para identificar e se organizar no tempo e/ou espaço;
  • desarmonia psicomotora;
  • retardo motor.

10. Psicopedagogia

Algumas pessoas, especialmente crianças e adolescentes, têm sérias dificuldades de aprendizagem, as quais podem ser resultado de questões emocionais ou fisiológicas. Então, o psicopedagogo busca a compreensão dos inúmeros fatores envolvidos nos problemas de aprendizagem e concentra-se em resolvê-los.

Alguns sintomas de dificuldades de aprendizagem são:

  • baixo nível de aprendizagem da linguagem, articulação das palavras, leitura e escrita;
  • troca de letras ou “comer as palavras”;
  • incapacidade de construir imagens nítidas de fonemas, sílabas e palavras;
  • fraco desempenho escolar;
  • dificuldade em adotar bons hábitos de estudo;
  • desorganização excessiva.

A partir do diagnóstico, o psicopedagogo inicia um trabalho terapêutico voltado à aprendizagem, utilizando todos os tipos de recursos que facilitam a recuperação da capacidade de aprender de forma independente e prazerosa.

11. Psicologia do Consumidor

A Psicologia do Consumidor é uma área de interesse das empresas que estuda o comportamento dos clientes e consumidores em potencial, baseado no que estão pensando, quais suas crenças, sentimentos e percepções de mundo. Afinal, tudo isso influencia a maneira como são realizadas compras e a própria relação deles com bens e serviços.

Aqui, o psicólogo realiza diversos estudos com indivíduos, grupos e até organizações. A ideia é descobrir quais são os critérios que eles usam para selecionar, defender, usar e descartar produtos, serviços, experiências ou ideologias, a fim de satisfazerem suas necessidades.

Veja alguns pontos que a Psicologia do Consumidor pesquisa:

  • como os consumidores escolhem empresas, produtos e serviços;
  • os pensamentos e emoções por trás das decisões do consumidor;
  • como variáveis ​​ambientais, como amigos, família, mídia e cultura influenciam as decisões de compra;
  • o que motiva as pessoas a escolher um produto em vez de outro;
  • como fatores pessoais e diferenças individuais afetam as escolhas de compra das pessoas;
  • o que os profissionais de marketing podem fazer para alcançar efetivamente público-alvo.

12. Psicologia Jurídica

Não podemos deixar de mencionar esta, uma das áreas da Psicologia mais rentáveis. Voltada às questões do Direito, sem dúvidas, a Psicologia Jurídica é uma das mais desafiadoras. Ela estuda os vários fenômenos, sobretudo relacionados à saúde mental e distúrbios de personalidade que podem levar uma pessoa a cometer crimes ou infrações à lei.

O profissional é encarregado de prestar auxílio técnico aos oficiais de Justiça, como policiais, juízes e advogados. Isso é feito por meio da emissão de laudos e depoimentos.

Por isso, a Psicologia Jurídica tem uma função social muito importante, que é a de proteger o cidadão do ponto de vista psicológico diante das questões legais. Por isso, tem uma atuação muito forte nos tribunais durante julgamentos, para a elucidação de crimes, condutas e penalidades. Algumas dessas subáreas são:

  • Psicologia Criminal;
  • Psicologia da Família;
  • Psicologia e Direitos Humanos;
  • Psicologia Judiciária;
  • Psicologia Civil;
  • Psicopatologia Trabalhista.